October 23, 2021

O PS é uma grande 'famiglia'

 


Como é que um incompetente notório da educação, um ignorante encartado acerca de tudo que diga respeito à educação e um governante sem tino é eleito para um cargo de Alto Nível da educação na UNESCO que depende da ONU? Pois...


Ministro Tiago Brandão Rodrigues integra Comité de Alto Nível da UNESCO

Que é que a ministra da saúde tem andado a fazer?

 


A pandemia atingiu-nos em Fevereiro de 2020. Estamos em 2021. Compreende-se que este último ano e meio tenha sido difícil, mas o governo está no poder desde 2015. 

2015, 2016, 2017, 2018, 2019 - cinco anos. Se tivessem feito um trabalho minimamente decente, o SNS não estava na falência em que está. No Hospital de Setúbal chove no corredor há três anos. Antes da pandemia, portanto. São anos de incúria, para chegar àquele estado.

Que é que a ministra da saúde tem andado a fazer? 





Porque é que este governo não tem interesse em combater a corrupção?

 


Essa é a pergunta que interessa responder.


Ministra nomeia advogado do caso EDP para Conselho Superior do MP





OE não inclui avaliação do seu impacto gerecional

 


Daí que lhes seja 'fácil' os endividamentos em nome da ideologia do voto.




Motionlessness

 


“It seemed to us then that we had invented everything anew: a new way of speaking and a way of being silent, a special way of walking and an absolutely unique regimen for living in a state of motionlessness.”

     — Poplavsky



Maria Livia São Marcos-History of Art Group

Os elefantes da Gorongosa estão a nascer sem defesas

 


E os cientistas pensam ser uma resposta evolucionária à caça furtiva. Durante os 15 anos de guerra civil do século passado, os moçambicanos dizimaram milhares de elefantes para venderem o marfim para sustentar a guerra. Como resultado, a linha genética dos elefantes desprovidos de defesas -que são sempre fêmeas e que não eram caçados- passou de minoritária (18.5%) a maioritária (51%). Agora, estão a nascer um número desproporcionado de fêmeas, ninguém sabe porquê, da linha genética que não desenvolve defesas.

"A evolução é uma mudança nas características hereditárias dentro de uma população ao longo de sucessivas gerações e, com base nos resultados do nosso estudo, a mudança para a ausência de presas entre as elefantes fêmeas na Gorongosa encaixa perfeitamente nesta definição, disse Long, um autor do estudo.
"O facto de ter ocorrido tão rapidamente é raro e é uma função directa da força da selecção. Por outras palavras, aconteceu tão rapidamente porque as fêmeas sem defesas tinham uma muito maior probabilidade de sobreviver à guerra, e portanto um potencial muito maior para passar os seus genes para a geração seguinte".

"Mas e quanto aos elefantes machos? Depois de recolher amostras de sangue de 18 elefantes fêmeas, com e sem presas, os investigadores sequenciaram os seus genomas. Descobriram que as fêmeas sem presas tinham uma variação genética numa região muito específica do cromossoma X, que desempenha um papel no desenvolvimento das presas.
"As fêmeas têm 2 cromossomas X. Nas fêmeas sem presas, um desses cromossomas é 'normal' e o outro contém a informação de eliminação das presas", explicou Long.
"Quando uma fêmea sem presas concebe uma descendência masculina, esse macho tem 50/50 de receber o cromossoma X afectado da sua mãe. Se receber o cromossoma 'normal', sobreviverá e nascerá com a informação genética necessária para produzir presas.
Contudo, se o feto elefante macho receber o cromossoma com a variante genética, morre no útero porque a variante que produz presas fêmeas sem presas é letal para os machos, disse Long."

"O mecanismo genético e de desenvolvimento exacto que leva à ausência de defesas nas fêmeas e à perda de elefantes machos durante os 22 meses de gravidez de um elefante ainda não foi compreendido, de acordo com o estudo.
O número de elefantes recuperou na Gorongosa para cerca de 800, disse Long. Não ter presas não parece prejudicar significativamente as fêmeas de elefantes, mas isto é algo que os investigadores querem estudar mais a fundo. A análise dietética sugere que as fêmeas sem presas comem uma maior proporção de gramíneas.
A população está a sair-se bem e há muitos elefantes sem presas. Adaptaram-se claramente à vida sem presas, mas há muita coisa que ainda não sabemos".


Some elephants are evolving to have no tusks as a response to brutal poaching

Uma casa

 


Casa Katana (pela forma de lâmina das linhas da casa), Creta, Grécia
Perfeitamente integrada no ambiente.















KRAK. architects

By Naser Nader Ibrahim

Coisas boas

 


Ontem passei por um sítio, em Setúbal, que nunca tinha visto nem sabia que existia: um terreno de hortas urbanas. Um terreno da Câmara Municipal foi dividido em lotes de 30m2 "num total de 74 parcelas – 54 destinadas ao público em geral, 18 para os trabalhadores da Autarquia e duas para pessoas com mobilidade reduzida, criadas em terreno sobrelevado. O equipamento comunitário inclui, ainda, áreas de utilização comum, como espaços para o armazenamento de ferramentas, uma unidade de compostagem para restos vegetais e instalações sanitárias e zonas de circulação para os utilizadores, que devem estar sempre desimpedidas e em bom estado de conservação."

Os terrenos são alugados às pessoas para cultivo, pelo preço simbólico de 7.5€. Se as pessoas deixam de cultivar a parcela passa para outra pessoa.

Contribui para uma agricultura sustentável, para estreitamento de relações comunitárias e para os hortelãos destressarem da vida urbana porque hortelar como hobby é uma actividade terapêutica.





15 minutos de Tolstói - Guerra e Paz CLXXI







October 22, 2021

Nocturna

 







Uma cor suculenta




Este tom de terra aveludado. Que elegância.




Scholar in his study
Date: 1876
Artist: Friedrich von Amerling (1803 –1887)

Porque é que não há ninguém como a Callas





Categoria Vocal: Assoluta (Soprano Sfogato)

Compositores: Bellini, Verdi, Donizetti, Rossini, Puccini, Cherubini, Spontini, Mozart

Os seus pontos fortes

Na minha mente, a maior voz de ópera jamais gravada. Um fenómeno de arte, preservado com um timbre icónico e inimitável, uma gama vocal estratosférica e o mais reverenciado sentido de musicalidade e técnica dentro da sua forma de arte.

Callas encarna o mais raro de todos os tipos vocais dentro da ópera que é a fach* 'Assoluta' (mais conhecida como, Soprano Sfogato). Uma voz que pode transcender os limites de uma categoria vocal e explorar todas as dimensões do instrumento feminino, desde o soprano alto até ao mais profundo do contralto.

Um exemplo da capacidade flutuante da voz de Callas pode ser ouvido pela primeira vez como Elvira na ópera I Puritani de Bellini.

*O sistema alemão Fach é um método de classificação de cantores, principalmente cantores de ópera, de acordo com a faixa, o peso e a cor de suas vozes. É usado em todo o mundo, mas principalmente na Europa.Wiki)



Nesta cena, Callas mostra toda a luminosa e qualidade engenhosa do seu instrumento vocal. Ela adoça o seu timbre com tanta inocência e permite que o legato se desenrole com terna facilidade, nunca agride a linha ou perde a elegância límpida que o papel requer. A coloratura também nunca se torna dramaticamente escurecida e Callas transpira os sonhos lacrimosos de uma jovem apaixonada.

Agora ouça-se como Callas mostra uma completa transformação vocal na ária 'Suicídio' da ópera La Gioconda de Ponchielli;




Repare-se como a voz da Callas é aqui robusta. Enquanto que Elvira, Callas tem uma qualidade translúcida e arejada para o seu timbre, mas aqui está a pulsar com vibrato, através do registo médio e superior e contém uma mistura de tonalidades heróicas e escuras. O registo inferior em particular é colorido como o de um verdadeiro contralto, com uma qualidade andrógina ardente que é totalmente distinta dos outros registos do seu instrumento.

A par do timbre multifacetado de Callas, está a sua prodigiosa habilidade técnica, particularmente em coloratura. Para um som tão grande e carnívoro, ela foi capaz de cantar tanto coloratura lírica alta como coloratura dramática com a mesma fluência.




Nesta maravilhosa cabaletta de La Sonnambula de Bellini, podem ouvir-se linhas de coloratura maravilhosamente claras, subindo até ao staccato colocado sem esforço que soa como uma verdadeira soubrette. A voz é tão imensamente ágil, que se esquece que esta é a mesma mulher que respirou fogo como Medeia e Lady Macbeth. É também no Nabucco de Verdi, onde se pode ouvir a dramática contrapartida desta coloratura na cabaletta 'Salgo Gia';




Aqui está a voz Callas em plena capacidade vulcânica, mas mesmo assim, cheia de coloratura. Ao contrário do que acontece nas orquestrações de Bellini, a instrumentação de Verdi é extremamente pesada e coloca exigências incrivelmente difíceis sobre a voz. Callas, no entanto, estende-se para além destes potenciais campos de minas vocais e produz escalas incrivelmente rápidas, indo da voz baixa do peito ao C alto com ressonância perfeita, controlo cromático e controlo da respiração que desmente os perigos da pontuação. A derradeira exibição do canto dramático da coloratura.

A outra notável virtude do instrumento Callas é o controlo da respiração. A capacidade de Callas de sustentar uma linha musical nunca foi tão enfatizada como na jóia de Bellini de uma ária 'Casta Diva' da ópera Norma;




Nesta ária, provavelmente a mais dura jamais escrita para a voz feminina, Callas mostra a musicalidade impecável necessária para melhorar ao máximo a linha musical melodiosa. Cada frase é alongada com um controlo soberbo, com fraseado extraordinário e temperamento de volume, muitas vezes dentro de uma medida de uma respiração. Isto é melhor exemplificado nas rápidas linhas fioratura que prosseguem a série de High A5's em crescendo até ao High Bb5. As notas de coloratura têm de ser tomadas quase como uma vírgula musical para fazer a ponte entre as notas sequenciais, de modo a não quebrar o legato. Callas canta estas notas num sopro inaudível e mantém esta linha altamente virtuosística impecavelmente, ao mesmo tempo que altera o volume e a fraseação das notas. O maior exemplo de Bel Canto alguma vez gravado.

O declínio mais notório da voz Callas ocorreu por volta de 1959, onde o seu registo superior começou a revelar uma pronunciada 'oscilação' ou um vibrato largo e solto. A oscilação era muitas vezes ouvida em notas Alto B5 e acima e tornava quase impossível cantar os grandes papéis de soprano na sua carreira posterior.

É de notar, contudo, que a oscilação ocorreu apenas nas partes extremas da voz de Callas e os registos de médio a baixo ficaram intactos até ao final da sua carreira. O pesado repertório que Callas empreendeu numa idade precoce teve inevitavelmente um impacto mais tarde na sua carreira, mas a sua arte e contribuição seminal para a ópera permanecem indeléveis.

Esta apreciação da Callas é deste site

--------------------
Aqui na ária da Violetta onde canta, Sempre libera degg´io folleggiare di gioia in gioia... a voz dela exuda liberdade. É toda ela floral e coloratura e atira-se a várias oitavas com uma facilidade e alegria inigualáveis. A voz dela é como um oceano, parece ter sempre lá reservas para mais uma onda. E o timbre tão diferente de todos os timbres, tão único. Em certas árias, fica-se emocionalmente tocados, logo às primeiras notas.





Governar como um negócio

 



Polícia Judiciária apreendeu computador profissional e pessoal do provedor da Santa Casa


Em causa nesta investigação está o facto de Edmundo Martinho e da professora Maria da Luz Cabral terem beneficiado de desconto no arrendamento de casas da Santa Casa. Os inspectores também recolheram informação sobre a atribuição de uma bolsa de doutoramento a Maria da Luz Cabral e sobre despesas com viagens.



How to avoid sexual assault

 




A poética do espaço

 



Matthias Schmidt


Só agora bateu

 


O cansaço desta semana com duas reuniões a entrar na noite. Eu gosto do trabalho de DT, mas estas semanas assim cansam. 




Pois, deve ter sido uma decisão troika




Salgado-Advogado-Médico?


Advogado de Ricardo Salgado afirma que "não é o arguido que decide ter Alzheimer"



Coletivo de juízes recusou esta quinta-feira suspender o processo, como a defesa do ex-banqueiro tinha requerido alegando o diagnóstico de Alzheimer.

Guerra dos mundos - Android versus iPhone

 



bigthink

Bom dia

 



directamente do fb

Estudo propõe receita para tirar Portugal da “armadilha” em que caiu



estudo-propoe-receita-para-tirar-Portugal-da-armadilha-em-que-caiu


Estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos, coordenado pelo economista Fernando Alexandre e que contou com um comité formado por economistas como David Autor (Massachusetts Institute of Technology), Thomas Philippon (New York University), Ricardo Reis (London School of Economics) e Sérgio Rebelo (Northwestern University), propõe novo paradigma para o país. É apresentado esta sexta-feira e tem uma “obsessão” - inovação, inovação, inovação, inovação, inovação


PRINCIPAIS RECOMENDAÇÕES


Instituições e ambiente económico

1. Rever os processos de nomeação para as entidades reguladoras, garantir a sua autonomia em termos orçamentais, bem como os mecanismos de prestação de contas pelos resultados alcançados na melhoria das condições de concorrência dos mercados e na criação de condições para a inovação.

2. Negociar e criar as condições, numa articulação muito próxima com o sistema científico e tecnológico, para que em 2030 todas as multinacionais baseadas em Portugal pertencentes ao grupo dos maiores investidores mundiais em I&D tenham estabelecido centros de I&D&I em território nacional.

3. Integrar na orgânica e governação das entidades gestoras de fundos europeus (Compete) e relevantes para a atração de IDE (AICEP) representantes das regiões, num prazo que permita produzir efeitos no Quadro Financeiro Plurianual 2021-27.

4. Eliminar a desvantagem de Portugal em termos fiscais face aos seus concorrentes diretos na atração de IDE reduzindo a taxa de IRC através da eliminação da derrama estadual.

Investigação, ensino superior e qualificações

1. Estabelecendo parcerias com empresas e instituições de ensino superior, introduzir competências digitais e de programação desde o 1.º ciclo de estudos, tornando mais atrativo o prosseguimento dos estudos no ensino secundários e superior nas áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática (CTEM).

2. Aumentar a flexibilidade e criar incentivos orçamentais para que as instituições de ensino superior abram novos cursos em áreas emergentes e aumentem as vagas nos cursos com maior procura.

3. Rever os critérios de financiamento do ensino superior criando incentivos ao aumento de vagas nas áreas CTEM, de forma a que a oferta de vagas no ensino superior público atinja os 45% em 2025.

4. Criar sistemas de bolsas para estudantes internacionais no ensino superior de forma reforçar a atração e fixação de talento

5. Reforçar os orçamentos dos centros de investigação, laboratórios associados e colaborativos em áreas relevantes para fazer face às transições climáticas e envelhecimento.

6. Estabelecer contratos programas entre o Ministério do Ensino Superior e universidades para que até 2030 Portugal tenha pelo menos uma universidade entre as 100 melhores do mundo e cinco áreas científicas entre as 75 melhores do mundo no ranking de Shangai.

Infraestruturas

1. Tornar os serviços aduaneiros de portos e aeroportos entre os cinco mais eficientes no índice internacional de desempenho logístico do Banco Mundial até 2025.

2. Garantir cobertura 5G em todo o território nacional até 2025.

3. Reduzir em 50% os tempos de viagem ferroviária no eixo Setúbal- Lisboa-Porto-Braga-Vigo até 2030.

4. Reforçar as linhas de metro e de comboio nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, e acompanhar com a introdução de portagens para automóveis nessas áreas.

Expresso